As lesões no joelho afetaram diversos atletas nas Olimpíadas do Rio. Dos 971 atendimentos médicos, 184 foram realizados para analisar os joelhos dos atletas (quase 20% do total).

Confira abaixo a lista com alguns atletas que tiveram sua participação prejudicada ou interrompida, por conta de lesões no joelho:

1. Roger Federer – Modalidade: Tênis

A primeira grande estrela a ficar de fora foi o tenista Roger Federer. O suíço, que detém quatro medalhas em Jogos, sentiu um problema no joelho esquerdo, que foi operado no início do ano, e optou por não lutar por mais um pódio. Ele foi submetido a uma artroscopia para reparar um rompimento do menisco. “Estou extremamente desapontado em anunciar que não poderei representar a Suíça nos Jogos Olímpicos do Rio”, escreveu no Facebook.

2. Alison – Modalidade: Vôlei de Praia

Muitos não sabem, mas Alison (dir.), medalhista de ouro no vôlei de praia, teve que fazer duas cirurgias antes da Olimpíada, sendo uma delas no joelho. O atleta sofreu uma ruptura completa do tendão patelar, lesão semelhante à do jogador Ronaldo Fenômeno. “A classificação foi muito forte, com grandes times, tive de parar para operar o joelho. Quando ia voltar, tive apendicite. Mas em nenhum momento, o Bruno parou de acreditar no Alison, e o Alison deixou de crer no Bruno”, falou, referindo-se ao parceiro de dupla.

3. Sérgio Sasaki – Modalidade: Ginástica Artística

Outro atleta que teve que superar uma lesão no joelho para disputar os Jogos foi o ginasta Sérgio Sasaki. O atleta teve um problema no menisco, logo no início do evento. “Não quis falar para ninguém, mas desde o primeiro dia estou sentindo muita dor no joelho. Acho que é um problema no menisco”, afirmou.

4. Marta Baeza – Modalidade: Esgrima

A participação da esgrimista brasileira Marta Baeza durou menos de três minutos. A atleta sentiu uma lesão que já tinha no joelho esquerdo e precisou abandonar a disputa no sabre. “Eu já tinha uma lesão no joelho, então vim aqui com tudo que tinha. Todo mundo falou que com a adrenalina não ia ter problema, que ia estar bem, mas no primeiro golpe senti”, disse.

5. Ana Cláudia Lemos – Modalidade: Revezamento 4 x 100

Melhor velocista do Brasil, a corredora Ana Cláudia Lemos, não pôde disputar a qualificatória do revezamento 4x100m por conta de uma lesão no joelho direito. Como o Brasil não passou para a final, a atleta não chegou nem a pisar na pista do Engenhão, onde foram disputadas as provas do atletismo.