Os corredores são os atletas que mais sofrem fraturas por estresse. Isso se deve principalmente à grande quantidade de impacto durante a prática esportiva, à fadiga e ao desequilíbrio muscular.

Existem outros motivos, como o uso de equipamentos inadequados, falta de condicionamento físico, entre outros.

As fraturas por estresse podem atingir todos os ossos, mas costumam acometer os que suportam o peso corporal, especialmente os membros inferiores. Os mais atingidos são tíbia, metatarsos, fíbula, fêmur e navicular.

Sintomas de uma Fratura por Estresse

  • Dores fortes durante a atividade física;
  • Dores fortes quando o local fraturado é tocado.

Tratamento desse Tipo de Fratura

O tratamento para a fratura por estresse é conservador, principalmente nas fraturas de baixo risco.

A primeira atitude é interromper as atividades de impacto.

Na maioria dos casos, a imobilização não é necessária ou pode ser utilizada por curto período.

O uso de muletas pode ser recomendado em alguns casos.

Se o paciente sentir dor, o uso de anti-inflamatórios e analgésicos é recomendado.

Nas fraturas de alto risco, o tratamento é mais rígido, exigindo repouso total, além de imobilização.

Se não houver melhora, a cirurgia pode ser recomenda para fixar a fratura.